Não categorizadoSerra Verde Imperial - RJ

Petrópolis é presença confirmada na Expocatólica 2023

 

 

A diversidade de templos e espaços religiosos de Petrópolis ressalta a beleza da arquitetura e de ornamentos, entre os séculos XVIII e XIX. A história da fé católica em Petrópolis e seus templos religiosos serão apresentados na Expocatólica, entre os dias 18 e 21 de maio, em São Paulo. A Prefeitura de Petrópolis, por meio da Secretaria de Turismo, vai estar com um estande na mostra, dentro do segmento Turismo Religioso.

“Temos atrativos religiosos em Petrópolis já bem conhecidos dos turistas, como a Catedral São Pedro de Alcântara, mas existem outros com grande importância cultural e histórica que também merecem destaque. A Expocatólica vai ser uma grande oportunidade de falar sobre todos eles”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

Durante os quatro dias de evento, quem passar pelo estande de Petrópolis vai receber material de folheteria, produzido em parceria com a Mitra Diocesana de Petrópolis, e que destaca alguns dos atrativos turísticos religiosos da cidade. Além disso, a assessora de Promoção Turística, Dalva de Oliveira, e a encarregada do Disque Turismo, Rosaura Kapps, estarão à disposição para receber os visitantes e apresentar todos os atrativos.

“A Expocatólica foi ampliada para esta edição, com novos espaços, como o que vamos estar.  Uma grande chance de promover Petrópolis como destino turístico para quem busca a religiosidade. Temos igrejas lindíssimas, com belos vitrais e repletas de artes sacras e muita história, que merecem ser divulgadas e apreciadas”, frisou a secretária de Turismo de Petrópolis.

Este ano, o evento vai ocupar um espaço com mais de 25 mil metros quadrados, divididos em três andares, onde serão realizados seminários, congressos, exposição de móveis e equipamentos, arquitetura religiosa, áreas para livros, materiais para liturgia, arte sacra, tecnologia e comunicação, entre outras atividades.

Turismo Religioso Católico em Petrópolis: conheça alguns dos atrativos

Catedral São Pedro de Alcântara

Neste templo em estilo neogótico francês, cuja pedra fundamental foi colocada em 1876,  encontra-se o Mausoléu com os restos mortais da Família Imperial, esculturas de Jean Magrou Bertozzi, vitrais e pinturas de Carlos Oswald. O altar gótico do Mausoléu contém relíquias de São Magno, Santa Aurélia e Santa Tecla, trazidas de Roma pelo Cardeal D. Sebastião Leme. As portas principais do templo pesam 2400 kg cada.A torre, é aberta à visitação, com acesso à Galeria Expositiva Princesa Isabel.

Igreja Matriz Sagrado Coração De Jesus

A construção, iniciada em 1872 e inaugurada em 1874, nasceu da vontade dos colonos alemães católicos de possuírem um templo próprio para sua devoção e reunião. Foi concretizada pelo padre Teodoro Esch, que fundou na época uma escola para filhos de alemães católicos e uma sociedade de canto para adultos, a Liedertafel. Em 1896, com a chegada dos Franciscanos, foi construído o convento, uma escola para meninos carentes e uma tipografia, que deu origem à Editora Vozes, cujas atividades permanecem até os dias atuais. Em 2009, foi inaugurada ao lado uma moderna capela dedicada a Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, o primeiro santo brasileiro.

Igreja Nossa Senhora Do Rosário

A Igreja é parte importante da história do povo preto em Petrópolis. Inaugurada em 1883, foi construída em parte com doações coletadas por ex-escravizados. Em 1953, devido aos efeitos do tempo na antiga capela, Monsenhor Gentil encomendou a construção de uma nova igreja, e de modo a não interromper as atividades religiosas, a primitiva capela foi mantida enquanto a nova igreja foi construída ao redor. Durante a construção, em 1956, surgiu uma nascente de água, que foi nomeada Fonte da Virgem, localizada atualmente dentro da Escola Monsenhor Gentil, ao lado da igreja. Foi inaugurada em 1958. Os sinos vieram da Catedral São Pedro de Alcântara.

Trono de Fátima – Capela de Nossa Senhora de Fátima

Monumento concebido por Heitor da Silva Costa, mesmo autor do projeto do Cristo Redentor, tem 14 metros de altura e uma vista privilegiada do Centro Histórico. A imagem de Nossa Senhora de Fátima, que pesa quatro toneladas e mede 3,5 metros e a do anjo Gabriel sobre a cúpula, de 1 metro de altura, foram esculpidas em mármore branco pelo italiano Enrico Arrighini. A cúpula se apoia em sete colunas, representando os dons do Espírito Santo. A construção contou com ajuda popular, tanto na arrecadação de fundos, quanto na obra em si. É mantido pela Congregação Mariana.

Santuário e Paróquia de Nossa Senhora do Amor Divino

No bairro de Corrêas, ficam o Santuário e a Igreja que levam o nome da Santa que recebeu a Coroação Pontifícia do Papa Francisco. A devoção à Nossa Senhora do Amor Divino é a mais antiga em Petrópolis, e era exercida desde 1751 em um oratório da Fazenda do Rio da Cidade, de Manuel Antônio Goulão. Em 1823, encontram-se referências à presença da imagem na Capela da Fazenda do Padre Corrêa, para onde acorriam inúmeros devotos. Entre estes estavam incluídos dom Pedro I e família que, ao hospedarem-se na fazenda, costumavam assistir aos serviços religiosos. Essa crescente devoção levou à construção de uma igreja maior em terreno próprio. A pedra fundamental da igreja foi lançada em 17 de agosto de 1930, sendo concluída em 1933.

Ordem Religiosa do Carmelo de São José

O prédio, de 1917, abriga um mosteiro de clausura absoluta. É o único endereço no mundo que conta com uma imagem de Nossa Senhora da Saudade. O local recebe missas diariamente, às 18h de segunda a sexta-feira e às 8h nos sábados e domingos.

Mosteiro da Virgem

Abriga uma comunidade contemplativa de Beneditinas, fundada em 1925, em Roma, e que em 1939 instalou- se na Av. Ipiranga. A nova capela, inaugurada em 1989, possui estilo moderno onde se destacam: o painel representando Jesus Cristo Glorioso; uma rara imagem da Virgem Maria grávida; a “Menorah”, candelabro de bronze com sete braços – típico das Sinagogas – representando a plenitude.

Igreja de Sant’Anna e São Joaquim

A construção da Igreja de Sant’Ana e S. Joaquim surgiu da necessidade demonstrada pelo operariado da Companhia Petropolitana, em sua maioria imigrantes italianos e católicos, de terem um local para a prática de sua devoção. Tomada a decisão, operários, diretores, gerentes e o povo em geral arrecadaram fundos para a realização de uma festa que durou três dias, onde foi apresentada uma maquete de como seria a igreja. O Barão e a Baronesa de Matos Vieira, em conjunto com pessoas proeminentes da época, se decidiram pela construção do templo no topo do pequeno morro, onde hoje se encontra. Destaque para os quadros instalados em todo o teto da igreja.

Para conhecer mais sobre o Turismo Religioso Católico em Petrópolis e tudo mais que a cidade tem a oferecer, acesse o site , o Instagram @turismo.petropolis, ou entre em contato com o Disque Turismo, por meio dos telefones 0800 -0241516 ou WhatsApp (24) 2237-3321.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo