Não categorizadoTurismo

Mapa do Turismo é indicado pelo TCU como modelo de ferramenta de gestão

Plataforma é exemplo de ação para ordenamento territorial e de gestão de políticas públicas

O Mapa do Turismo Brasileiro, do Ministério do Turismo, foi indicado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para ser apresentado como um modelo de boas práticas de gestão de políticas públicas durante o VIII Fórum Nacional de Transferências e Parcerias da União. O evento foi realizado pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) em Brasília (DF) entre os dias 13 a 15 de junho de 2023. A plataforma é uma das principais ferramentas da Pasta para a tomada de decisões mais acertadas e para implementar políticas que respeitem as peculiaridades dos municípios brasileiros.

A ministra do Turismo, Daniela Carneiro, comemorou o reconhecimento da plataforma e destacou a necessidade de iniciativas como esta para o desenvolvimento da gestão no país. “O Mapa do Turismo é uma ferramenta super importante e que nos ajuda a desenvolver políticas mis assertivas para o setor que vão impactar diretamente na vida da nossa população. Fico feliz com o reconhecimento”, disse.

Representando a Pasta durante o fórum, a coordenadora-geral de Definição de Áreas Estratégicas para o Desenvolvimento do Turismo, Ana Carla Moura, apresentou algumas informações referentes ao Mapa. Entre elas, as que explicam todo o processo de atualização da categorização dos municípios que se encontra em avaliação técnica, quem pode participar, a importância das governanças e do Sistema Nacional de Turismo, como funciona o Sistema de Informações do Mapa do Turismo Brasileiro (SISmapa) e os critérios e orientações estabelecidas para a sua composição. Além disso, outros programas do Ministério do Turismo, como o Cadastur e o Portal de Investimentos, foram listados pela coordenadora.

“O Mapa traz um olhar para o ordenamento e a gestão dando subsídio e suporte técnico internamente e para o público externo. Hoje, ele também é trabalhado de forma integrada com o Cadastur, Fungetur, Portal de Investimentos e o Revive, e também é uma ferramenta que fortalece as governanças trazendo aí a importância da regionalização do Turismo”, pontuou o secretário nacional de Planejamento, Sustentabilidade e Competitividade no Turismo, Marcelo Costa.

O MAPA – Atualmente, o Mapa do Turismo registra a participação de 2.583 municípios e 340 regiões turísticas. A participação no Mapa é aberta a todos os municípios brasileiros, desde que observem os critérios estabelecidos em Portaria Ministerial nº 41/2021, construídos em conjunto com as Unidades da Federação. Os estados e o DF podem definir exigências complementares, que devem ser igualmente respeitadas.

Além disso, o município precisa dispor de uma secretaria/departamento para o turismo, Lei Orçamentária, prestadores de serviços turísticos de atividade obrigatória regular no CADASTUR, Conselho Municipal de Turismo ativo, assinar um termo de compromisso e preencher a aba referente a atividade turística dos municípios. Por fim, devem comprovar a existência de uma instância de governança regional no turismo, como um conselho, fórum, comitê ou associação responsável por sua gestão.

Posteriormente ao preenchimento das informações pelos municípios, os estados e o DF, por meio de seus órgãos oficiais de turismo, têm até 30 dias corridos para revisar e homologar os cadastros no sistema do Mapa e enviar para aprovação do Ministério do Turismo, que tem até 15 dias corridos para realizar a aprovação e publicar os dados no Mapa do Turismo. Após a inclusão, este cadastramento terá sua validade por 01 (um) ano e deverá ser atualizado pelos gestores.

Créditos: Voe News

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo