Não categorizadoTurismo

MTur lança edição de 2023 da Revista Tendências do Turismo

Aldeia Tuyka, em Manaus(AM). Crédito: Roberto Castro/MTur

OMinistério do Turismo (MTur) disponibiliza, nesta terça-feira (28.02), a edição de 2023 da Revista Tendências do Turismo. Produzido pela Pasta, o material é um levantamento que aborda as principais tendências que estarão em alta este ano e que podem ajudar profissionais e gestores do turismo em todo o Brasil a conhecer as demandas do setor e o comportamento dos viajantes em 2023.

Os dados e informações analisados para elaboração da Revista foram colhidos de relatórios de instituições e empresas nacionais e internacionais que trabalham com turismo, além de matérias de diferentes veículos especializados. Esta edição conta, ainda, com comentários de especialistas em tendências, inovação e turismo sustentável.

“Conhecer as tendências de turismo é essencial para que possamos elaborar políticas públicas ainda mais efetivas, que promovam os nossos destinos e incentivem as viagens. A edição de 2023 da Revista Tendências do Turismo é uma ferramenta importante não só para o Ministério, mas também para o trade, trabalhadores, investidores e até mesmo para os viajantes, que ficarão mais informados sobre o setor”, ressalta a ministra do Turismo, Daniela Carneiro.

CLIQUE AQUI e acesse a Revista Tendências do Turismo.

Para 2023, algumas tendências que estarão em alta serão o turismo regenerativo, o turismo urbano, as viagens com propósito, o etnoturismo e o turismo de experiência. A Revista também traz como tendências o movimento slow travel e o nomadismo digital, além da influência das redes sociais e dos streamings (vídeos ao vivo) na escolha dos destinos.

No material, o leitor encontrará, ainda, mais informações sobre segmentos como o turismo de bem-estar (dessa vez “repaginado”), a volta do uso da infraestrutura ferroviária, o crescimento de destinos pouco conhecidos pelo grande público, entre outros.

O levantamento é recente, mas o MTur já trabalha pelo setor e conta com programas que buscam promover os destinos e ampliar as viagens nacionais para locais que possuem essas tendências. Confira detalhes de algumas delas trazidas na Revista e conheça ações do MTur voltadas para os temas:

TURISMO URBANO – O turismo urbano volta com força total, mostrando a procura do viajante pela cultura e vivência da cidade, além de manifestações artísticas, festivais culturais, museus e patrimônios históricos presentes nesse cenário. Destinos ricos em arte e elementos culturais serão prioridade para 2023 e o MTur não poderia ficar de fora dessa tendência.

A Pasta tem como previsão lançar, em 2023, a Rede Brasileira de Cidades Criativas (RBCC), um projeto desenvolvido em parceria com o Ministério da Cultura, o Sebrae e a CNC-Sesc-Senac, e que tem como objetivo principal promover a cooperação entre cidades que identificam a criatividade como um fator estratégico para o desenvolvimento socioeconômico e turístico sustentável.

E essa criatividade se encontra na gastronomia, na cultura, na música, nas artes e em outros elementos encontrados em algumas cidades brasileiras que foram consideradas Cidades Criativas pela Unesco.

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre a RBCC.

SLOW TRAVEL – Viagens longas e mais tranquilas, com menos obrigações e mais tempo para relaxar é a proposta dessa modalidade turística, uma tendência que vem forte nos próximos anos. Com o propósito de desacelerar e recarregar as energias, o slow travel vem conquistando cada vez mais turistas que se sentem sobrecarregados no seu cotidiano e querem reverter isso em suas viagens de lazer.

Utilizar um dos destinos da Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (RedeTrilhas) é uma forma de relaxar e praticar o slow travel. Isso porque o projeto do MTur em parceria com o Ministério do Ministério do Meio Ambiente e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) busca estimular o turismo em áreas naturais e promover as trilhas de longo curso como instrumento de conservação da biodiversidade, fazendo, claro, com que o turista tenha mais contato com a natureza.

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre a RedeTrilhas.

TURISMO DE EXPERIÊNCIA – Novas experiências em viagens é o que o turista mais espera encontrar em seus passeios nos próximos anos. Experimentar momentos únicos e novas aventuras por meio de diferentes vivências molda o novo formato das viagens daqui para a frente e é uma das tendências da Revista de 2023.

Percebendo essa necessidade de imersão do turista nos saberes e sabores do Brasil, o MTur lançou o Programa Nacional de Turismo Gastronômico, uma proposta que atua para a estruturação e promoção do turismo gastronômico nacional, de modo a efetivar a vocação natural do país como destino de excelência em gastronomia.

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre o Programa Nacional de Turismo Gastronômico.

A Pasta também desenvolve o projeto “Experiências do Brasil Rural”, que tem por objetivo fomentar e apoiar o desenvolvimento do turismo em áreas rurais por meio de um trabalho focado nos produtos associados ao turismo e que se encontrem dentro de roteiros ou rotas turísticas pertencentes a cadeias agroalimentares de interesse. Em cada edição, são formatadas e validadas “experiências turísticas memoráveis” e que trazem o turista para mais perto da realidade de pequeno agricultor rural.

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre o Projeto Brasil Rural.

Outras tendências a serem mais trabalhadas em 2023 são as “Viagens Regenerativas” e o “Etnoturismo”. A primeira consiste na busca do turista por viagens cada vez mais ecologicamente conscientes, com menos impactos e mais regeneração ao meio ambiente. Já a segunda tem como objetivo ser uma proposta um mergulho na cultura, vivência e rituais de povos originários e comunidades tradicionais, e tudo isso, claro, respeitando os costumes e tradições locais.

NOVA GESTÃO – A estruturação dos destinos é um dos eixos estratégicos lançados pelo Ministério do Turismo para os primeiros 100 dias de governo. Entre as ações do Plano está o financiamento de obras de infraestrutura turísticas pelo país, com um olhar atento para a retomada de obras paralisadas.

Serão retomadas ações de acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida como, por exemplo, a realização de uma pesquisa sobre o perfil deste turista e um mapeamento de empresas que ofereçam produtos e serviços com alternativas de acessibilidade.

O Turismo de Base Comunitária será reforçado, a partir de parcerias que estão em fase de estruturação com entes governamentais. O segmento permite que visitantes convivam com modos de vida tradicionais e, ao mesmo tempo, estimula o desenvolvimento local.

O plano, lançado no início de fevereiro, está dividido em cinco eixos estratégicos: Diálogo; Sustentabilidade e mudanças climáticas; Carnaval; Estruturação de destinos e redução do preço das passagens aéreas para democratizar o acesso da população à aviação no país.

Por Nayara Oliveira
Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo