Notícias

Equipotel e Conotel 2021 têm início em São Paulo com presença de autoridades; fotos

Corte da fita marca o início da Equipotel 2021

SÃO PAULO – A 58ª Equipotel 2021 e o Conotel 2021 tiveram início nesta segunda-feira (22), no Expo São Paulo, na capital paulista. A edição que conta com 250 marcas expositoras e mais de 240 horas de conteúdo profissionalizante, além da rodada de negócios que ocorrerá na quinta-feira (25), tem previsão de gerar cerca de R$ 90 milhões, entorno de 40% do volume de 2019 e atrair 18 mil pessoas.

Veja a galeria de fotos abaixo

Em seu discurso na abertura, Gilson Machado Neto, ministro do Turismo destacou que até fevereiro de 2022 o setor de Turismo abrirá cerca de 500 mil empregos no setor. O executivo aponta ainda que das 300 mil vagas criadas em agosto deste ano, 180 mil estão ligados ao Turismo.

“É muito gratificante estar aqui na Equipotel. O Brasil está tendo a maior retomada das Américas, começando pela retomada da autoestima do investidor. Nesta semana receberemos uma missão da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes. O nosso país é o maior com potencial turístico do mundo!”, endossa.

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

Machado também abordou a isenção de taxas para a aquisição de veleiros, afirmando que não se trata de um objeto de posse somente das classes altas, uma vez que a população brasileira vive em média a no máximo 200 quilômetros da costa. “Pensa só que o turismo náutico pode crescer, mas hoje, não temos marinas ou rampas públicas, por isso, parte do nosso projeto é melhorar a estrutura”, declara.

Outro ponto enfatizado é a recuperação da malha aérea, que já atinge 90% em relação ao ano de 2019. “Somos a maior oportunidade do mundo no setor aéreo, porque o brasileiro voa pouco por ano e aí te pergunto: será que essas empresas que vem para cá e quebram, chegam a falência por incompetência ou por falta de movimento?”.

Enquanto não houver uma regularização de protocolo para testes PCR o turismo internacional não retomará com consistência. Temos muitas pessoas que ao invés de sair estão viajando internamente, e isso porque há altos custos para a realização do exame

Em relação ao turismo internacional, Machado pontua que haverá demora para alcançar o patamar pré-pandemia. “Enquanto não houver uma regularização de protocolo para testes PCR, o turismo internacional não retomará com consistência. Temos muitas pessoas que ao invés de sair estão viajando internamente, e isso porque há altos custos para a realização do exame. Temos que aproveitar e fidelizar esses turistas com treinamento e boa mão de obra”, aponta.

Já Vinicius Lummertz, secretário de Turismo e Viagens de São Paulo, celebrou a arrecadação de R$ 960 milhões oriundos da Fórmula 1 e o impacto de dois bilhões em mídia mundial e valorizou a cadeia turística.

Vinicius Lummertz, secretário de Turismo e Viagens de São Paulo

Vinicius Lummertz, secretário de Turismo e Viagens de São Paulo

“Turismo é todo o complexo de viagens, não só o momento de lazer. Eu acredito no turismo brasileiro como o nosso futuro grande negócio e faço um desafio: dei-me um lugar que tem turismo e não terás desemprego. Somos invisíveis para muitos porque estamos em movimento”, enfatiza.

“Percebemos que hoje, o jovem julga uma viagem um bem durável mais valioso que a compra de um objeto, e a partir disso, podemos criar no Brasil alternativas de lazer como as que viajamos”

O secretário também discursou sobre os projetos e a logística da entidade a fim de estruturar e divulgar os aparelhos turísticos em São Paulo, evidenciou a importância da saúde e segurança biossanitária como um tópico permanente e abordou demandas e oportunidades internas.

“Para resistirmos à pandemia trabalhamos ouvindo o trade, a fim de entender as necessidades. Percebemos que hoje, o jovem julga uma viagem um bem durável mais valioso que a compra de um objeto, e a partir disso, podemos criar no Brasil alternativas de lazer como as que viajamos. Faremos de Olímpia a nossa Orlando”, frisa.

Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional

Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional

Com cerca de 45 mil hotéis e sendo responsável pela geração de um milhão e trezentos mil empregos, a indústria hoteleira é uma das maiores do país. A edição de 2021 da Equipotel e do Conotel é um marco para o setor, que sofreu com o fechamento de estabelecimento e consequentemente, demissões em massa.

“No momento de defender minha classe, me torno gigante e se tenho toda essa envergadura, é porque tenho o apoio da minha hotelaria. Hoje o turismo brasileiro representa sete milhões de empregos, dos quais a cada quatro, um pertence a nós. Essa é uma indústria que só vende sorrisos, não poluímos os rios ou jogamos fumaça para as nuvens. Agora é hora de ir ao encontro do futuro”, declara Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional.

A cerimônia de abertura também levantou a pauta do reconhecimento ao setor moteleiro que teve discurso de Gilson Machado, o apoio e a disposição do Ministério do Turismo para a inclusão no Cadastur e defesa de pautas que beneficiasse a classe. Além disso, Luiz Carlos Bacelar, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, voltou a defender a regularização de cassinos em estabelecimento hoteleiros.

 

 

Fonte: mercadoeeventos

Você também pode gostar:

ALERJ discute regulamentação de transporte turístico

nathalia

Complexo turístico hoteleiro é lançado em Maricá com conceito de Smart City

admin

Vassouras investe no turismo de experiência e lança rota de café

admin

Deixe um comentário