MMA apresenta Edital de R$ 2 milhões para investir no Cicloturismo pelo país

Edital de “Aperfeiçoamento de Rotas de Cicloturismo”. Crédito: Cacio Murilo/MTur

O Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA) realizou, nesta quinta-feira (19), uma transmissão ao vivo para esclarecer dúvidas e fornecer informações detalhadas sobre o Edital de “Aperfeiçoamento de Rotas de Cicloturismo”. Lançado na última terça-feira (17), o Edital prevê um investimento inicial de R$ 2 milhões, com objetivo de aprimorar rotas de cicloturismo e elaborar planos de comunicação para promover o turismo e a preservação ambiental.

O seminário online contou com a participação da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, falando sobre a importância da iniciativa para o desenvolvimento sustentável do ecoturismo no Brasil e mais 500 participantes que puderam conhecer o edital em detalhes e esclarecer dúvidas.

Representando o MTur, a diretora de Planejamento, Inteligência, Inovação e Competitividade no Turismo, Bárbara Blaudt Rangel, falou também sobre o projeto. “Esta iniciativa é fundamental para ampliarmos esforços em atividades que possam impulsionar a sustentabilidade no turismo. O cicloturismo é uma dessas possibilidades, ao fortalecer a experiência aos visitantes, ao mesmo tempo em que cria oportunidades para as comunidades locais”, afirmou a diretora.

A iniciativa, liderada pelo MMA por meio da Secretaria Nacional de Meio Ambiente Urbano e Qualidade Ambiental, conta com o apoio da Aliança Bike e da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso e Conectividade, uma iniciativa do Ministério do Turismo com o MMA e o ICMBio. Um dos objetivos do Edital é incentivar o uso sustentável das riquezas ambientais do país, promovendo o cicloturismo como uma ferramenta para ampliar as infraestruturas verdes, aproximando a população dos corredores ecológicos e áreas ambientais.

O MMA acredita que o cicloturismo não só promove a qualidade ambiental urbana, mas também reduz emissões de poluentes pelo incentivo do uso de bicicletas como uma forma sustentável e saudável de mobilidade. Além disso, o desenvolvimento das áreas ao longo das rotas é um objetivo fundamental da ação.

Adalberto Maluf, secretário Nacional de Meio Ambiente Urbano e Qualidade Ambiental, afirma que “o MMA quer estimular a conexão das pessoas com a natureza e quer criar oportunidades para a geração de empregos e novos negócios com o uso sustentável das nossas riquezas ambientais.”

A transmissão também contou com a presença de Daniel Guth (Aliança Bike e Rede Trilhas); Renata Falzoni, da instituição Bike é Legal; Salomar Mafaldo, coordenador Geral de Cidades Sustentáveis do MMA; e Pedro Cunha e Menezes, diretor de Áreas Protegidas do MMA.

QUEM PODE PARTICIPAR? – As propostas podem ser apresentadas por municípios, pelo Distrito Federal, por Estados e Consórcios públicos intermunicipais com atuação em atividades de interesse ambiental ou na promoção do turismo. Cada instituição poderá apresentar apenas uma proposta, com um valor mínimo de R$ 200 mil, e não poderá contemplar despesas com combustível, obras, serviços de engenharia e serviços de manutenção predial.

PRAZOS – A data limite para envio das propostas é até o dia 05/11, através da plataforma TransfereGov. As propostas devem indicar ao menos duas metas: aperfeiçoamento da rota de cicloturismo e elaboração/aperfeiçoamento do plano de comunicação de cicloturismo. Essas metas visam melhorar a infraestrutura cicloviária do país e divulgar as rotas, fornecendo informações detalhadas aos usuários.

Vale ressaltar que serão destinados R$ 2 milhões para apoio de até 10 iniciativas, com prazo de execução de 18 a 24 meses.

Em caso de disponibilidade orçamentária, mais projetos poderão ser atendidos, seguindo a ordem classificatória. O MMA ressalta que as entidades federativas ou consórcios públicos intermunicipais deverão contribuir para os projetos com contrapartida financeira proporcional aos recursos necessários para concretizá-los, de acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias.

Para mais informações e acesso ao edital, clique AQUI.

Por Vitória Moura
Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Sair da versão mobile