Não categorizadoTurismo

Apaixone-se pelos roteiros turísticos do Estado do Rio de Janeiro

Famoso pelas praias e pelos monumentos que ocupam o imaginário de turistas e as páginas dos cadernos de viagens, o Estado do Rio, com seus 92 municípios, tem uma diversidade de atrações capazes de surpreender até os mais experientes viajantes. São 12 regiões turísticas que oferecem opções para todos os gostos, estilos, perfis e idades. A atividade turística é de grande relevância para o estado, pois impacta direta e indiretamente na economia, com a movimentação no setor de comércio e serviços.

Para aquecer ainda mais o setor, o Governo do Estado do Rio de Janeiro lançou a campanha “Apaixone-se pelo Rio” e o plano TurismoRJ+10 Anos, com ações para promover a atividade na próxima década. O plano tem a intenção de recuperar o protagonismo do estado como vitrine do Brasil, resgatar o orgulho da população fluminense e fortalecer as atrações da capital e do interior.

A meta é que, nos próximos dez anos, 40 milhões de turistas passem por aqui. Para isso, estão previstos investimentos de US$ 100 milhões por ano. Também estão previstos investimentos em infraestrutura, como ampliação da sinalização turística, reforma e ampliação de aeroportos, rodoviárias, portos e marinas no interior do estado, além do fortalecimento da segurança turística em todo o território fluminense.

Conheça as 12 regiões turísticas do RJ:

Águas do Noroeste

 

Foto: Bom Jesus de Itabapoana – Lago José Neves / Divulgação

A região batizada de Águas do Noroeste por exemplo preserva ares interioranos. Composta por 13 cidades, a área oferece turismo religioso, atrações para quem procura esportes radicais, lugares históricos e uma gastronomia que vai de quibe a moqueca de peixe de água doce. É no município de Natividade que fica o Sítio dos Milagres, conhecido como local onde aconteceram aparições de Nossa Senhora.

 

Aperibé, Bom Jesus do Itabapoana, Laje do Muriaé, Miracema, Santo Antônio de Pádua e Porciúncula são alguns dos lugares onde é possível tomar banhos de cachoeira, visitar grutas e se aventurar em canoagem e rafting, além de visitar estações ferroviárias e curtir festas folclóricas.

Agulhas Negras

 

Foto: Itatiaia – Parque Nacional do Itatiaia / Divulgação

Agulhas Negras é o lugar certo para quem curte ecoturismo. Os quatro municípios da região — Resende, Itatiaia, Quatis e Porto Real — combinam vegetação exuberante, cachoeiras e recantos paradisíacos. Já a culinária do local, que conta com pratos à base de trutas, pinhão e receitas finlandesas fruto da colônia instalada em Penedo, é atrativo para os amantes da gastronomia.

 

Se a natureza das Agulhas Negras atrai turistas a fim de descansar e respirar ar puro, o conjunto de formações rochosas que constitui essa área também compõe um cenário excelente para trilhas, escaladas, mergulhos e atividades radicais, como trekking, rapel e mountain bike. Além disso, no Parque Nacional do Itatiaia está localizado o Pico das Agulhas Negras, ponto culminante do Estado do Rio.

Baixada Verde

 

Foto: Nova Iguaçu – Serra do Vulcão / Divulgação

Quem chega à capital pela Baixada Fluminense não imagina que 1/3 da área verde do Estado do Rio de Janeiro pertence à região, composta pelos municípios de Belford Roxo, Duque de Caxias, Japeri, Magé, Mesquita, Nova Iguaçu, Nilópolis, Queimados, São João de Meriti e Seropédica. As dez cidades fazem jus ao nome da região e possuem grandes reservas ecológicas, com diversidade de fauna e flora.

 

As matas locais também são ponto de esportes radicais. Quem vai a Japeri pode praticar voo livre no Pico da Coragem ou fazer uma escalada na Pedra Lisa. A Baixada também é rica em atrativos culturais. Em Magé, é possível visitar a Estação Guia de Pacobaíba, tombada como Monumento Histórico Nacional, enquanto em Duque de Caxias é possível ir ao Centro Cultural Oscar Niemeyer.

Caminhos Coloniais

 

Foto: Sapucaia – Estação Ferroviária / Divulgação

História e natureza também estão juntas nos Caminhos Coloniais. Areal, Três Rios, Sapucaia, Comendador Levy Gasparian e São José do Vale do Rio Preto são destinos para cavalgadas, caminhadas, visitas a igrejas antigas e gastronomia chamada de “comida da roça”, com doces caseiros, cachaça artesanal e a famosa chuchulinha, um prato tradicional que combina galinha e chuchu.

 

Uma curiosidade do local é que São José do Vale do Rio Preto, conhecida como cidade da música, serviu de inspiração para Tom Jobim compor alguns dos seus clássicos, como “Águas de março”, “Matita Perê” e “Dindi”.

Caminhos da Mata

 

Foto: Silva Jardim – Cachoeira das Sete Quedas / Divulgação

A região conhecida como Caminhos da Mata é cercada de verde, tem igrejas, boa culinária e pontos de turismo histórico, como o Palacete Visconde de Itaboraí, construído em 1840 e que servia de hospedagem para a Família Imperial.

 

Outra visita para os amantes da História é o Parque Palentológico de São José de Itaboraí, conhecido como “berço dos mamíferos”, onde foi encontrado um dos fósseis mais antigos do continente americano. E, em Tanguá, os visitantes podem fazer o Circuito da Laranja, um roteiro em que é possível conhecer um pomar de laranja e provar delícias produzidas a partir da fruta.

Caminhos da Serra

 

Foto: Santa Maria Madalena – Fazenda Tudelândia / Divulgação

Os atrativos naturais também são destaques na região chamada de Caminhos da Serra. Nessa região, os viajantes conseguem curtir cachoeiras, piscinas naturais, fazer caminhadas e outras atividades ao ar livre, como rapel e parapente.

 

Mas também não faltam atrações para quem gosta de passeios culturais. O município de Cantagalo, por exemplo, guarda lembranças de um filho ilustre: a casa e o busto do escritor Euclides da Cunha, que nasceu na cidade em 1866, são pontos certos para visitas. A pequena Santa Maria Madalena é a terra de outra brasileira de destaque, a comediante Dercy Gonçalves, que ganhou um museu no município.

Costa Doce

 

Foto: Campos dos Goytacazes – Rio Paraíba do Sul / Divulgação

A Costa Doce ganhou esse nome por conta da produção de doces como chuvisco e goiabada cascão. Além de gastronomia de qualidade, a região oferece atrativos naturais e uma atmosfera perfeita para o descanso. Os destaques são as praias de água doce, as lagoas, o Delta do Rio Paraíba do Sul e o manguezal localizado em São João da Barra, que é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico da União.

 

Composta por cinco municípios, além dos cenários naturais e os passeios históricos, a região também conta com forte turismo religioso, sendo a Capela de Nossa Senhora de Santana, em São Francisco de Itabapoana, a Igreja Matriz de São Fidélis, a Catedral do Santíssimo Salvador e a Festa de Santo Amaro, em Campos dos Goytacazes, importantes destinos do local.

Costa do Sol

 

Foto: Arraial do Cabo – Ilha do Farol, Prainhas e Praia Brava / Divulgação

Um dos pontos mais visitados do estado é a Costa do Sol. O destino oferece praias para todos os perfis, desde aquelas calmas para um tranquilo mergulho até aquelas com ondas e ventos fortes, ideais para surfe, windsurfe e kitesurfe. Saquarema, a capital nacional do surfe, atrai turistas do mundo inteiro, sobretudo nas temporadas de competição.

 

Composta por 13 municípios, a região tem também águas tranquilas, ideais para crianças, e uma famosa culinária à base de frutos do mar, preparados de forma rústica ou em restaurantes de cardápio internacional. À noite, as baladas de Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo agitam a região.

Costa Verde

 

Foto: Paraty – Igreja de Santa Rita / Divulgação

Ilhas paradisíacas, enseadas e praias de água verde são as atrações principais da Costa Verde. Dois dos seus quatro municípios — Angra dos Reis e Paraty — receberam o título de Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas, por unirem cultura e natureza.

 

Em Paraty, é possível caminhar pelas ruas observando a arquitetura dos séculos XVIII e XIX, que preserva construções dos tempos coloniais. A cidade também preservou sítios arqueológicos e uma parte do antigo Caminho do Ouro. Já em Angra dos Reis, as 365 ilhas com mar esverdeado convidam para passeios, mergulhos e trilhas.

Região Metropolitana

 

Foto: Rio de Janeiro – Pão de Açúcar / Divulgação

A capital fluminense e a vizinha Niterói formam a Região Metropolitana, que atrai milhares de turistas durante todo o ano. Além das famosas praias, as duas cidades possuem inúmeros atrativos culturais, vida boêmia, prática de esportes e opções gastronômicas para todos os gostos.

 

Enquanto no Rio não podem ficar de fora do roteiro os tradicionais passeios ao Cristo Redentor e Pão de Açúcar, Niterói é um convite aos amantes da arquitetura. A cidade é a segunda do mundo com a maior quantidade de obras projetadas pelo grande arquiteto Oscar Niemeyer.

Serra Verde Imperial

 

Foto: Guapimirim – Dedo de Deus / Divulgação

Já a região da Serra Verde Imperial é o lugar certo para quem procura gastronomia com influência da culinária europeia, pousadas aconchegantes e temperaturas mais amenas no verão. A região é famosa pelos polos têxteis da Feirinha de Teresópolis, da Rua Teresa e do centro de Nova Friburgo e pela tradição cervejeira.

 

Para os que gostam de turismo histórico, a Serra Verde Imperial é o destino ideal. Petrópolis conquistou a corte portuguesa, que a adotou como endereço de verão. Por conta disso, a cidade possui diversas construções que retratam a arquitetura da época, com destaque para o Museu Imperial e o Palácio de Cristal.

Vale do Café

 

Foto: Vassouras – Praça Barão de Campo Belo / Divulgação

O Vale do Café também respira História. A região é roteiro obrigatório para quem quer conhecer mais sobre o Ciclo do Café, que dominava a economia brasileira no século XIX. As cidades preservam casarões, fazendas e senzalas e uma suntuosa arquitetura rural.

 

Além da História, o Vale do Café é destino de amantes da música. O distrito de Conservatória é conhecido como “Capital da Seresta”. Músicos e turistas costumam caminhar pelas ruas ao som de canções e modinhas.

Créditos: Extra online

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo